domingo, 30 de agosto de 2009

A Cabana

A Cabana é um livro muito famoso, mas que eu não estava nem um pouquinho disposta para ler. Primeiro porque Laura excomungou o pobre coitado, segundo pois não faz muito o meu estilo pessoal e terceiro pois tento fugir um pouco de coisas da moda, admito. Só que ganhei de aniversário de uma pessoa que eu amo muito e, por isso, passei ele na frente das minhas outras leituras.

Acredito que todos já saibam, mas conta a estória de Mackenzie Allen Philip e sua "Grande Tristeza", a morte de sua filha caçula. Inicia o livro mostrando a relação sofrida de Mack com seu pai e como ele se reconstruiu e contruiu um casamento feliz. Porém, após a Grande Tristeza, Mack se vê sem esperanças e sobrevivendo simplesmente por hábito, e mais descrente do que sempre foi. Até a chegada de uma carta endereçada a ele e assinada por Papai (forma como sua esposa chama Deus). A curiosidade vence e Mack se vê às portas da cabana na qual estão todas as evidências da morte de sua filha.

Bom gente, a verdade tem que ser dita: não sou cristã, mesmo. Acho Cristo bacana, me pego pensando nele de vez em quando e tal, mas não consigo vê-lo como Deus. E o livro personifica a trindade, expondo Deus como uma negona super amável e carismática, Jesus como um homem carinhoso e companheiro e o Espírito Santo como uma oriental jardineira cheia de personalidade.

Preciso dizer que estranhei? À bessa? Acho que não...

Olha, o livro é de leitura extremamente fácil, infantil até e isso, inclusive, me incomodou um pouco. Só que entendi perfeitamente o motivo pelo qual arrebatou muitos corações: ele fala as verdades religiosas de uma forma diferente, mais moderna e humana. Inclusive tem umas passagens bastante interessantes nesse sentido. Gostei da parte que Jesus diz não ser cristão, por exemplo!

Só que (ao contrário do que a pessoa da livraria disse à minha tia quando ela foi comprar o livro para uma não-cristã) o livro é totalmente baseado na filosofia ocidental de crença religiosa, mais especificamente a fé cristã. O que pode chocar a crença de muita gente.

Demorei muito para lê-lo (coisa rara) justamente por não me prender. Mas entendo porque tantas pessoas gostaram dele, já que de um modo geral as pessoas estão muito carentes e necessitando de um consolo e fé, e ele pode proporcionar isso para alguns.

Compre AQUI, ou leia AQUI.

2 comentários:

Laura Schwartz disse...

Mamãe tem dois, comprou um e ganhou outro, e não deu conta de ler nenhum. Eu não chego perto dele nem com uma vara comprida. huahuhauhauhauhau

Ao invés disso, vou ler "Deus, um delírio" de Richard Dawkins.

Diana Bitten disse...

É, Laura, algumas pessoas eu até indicaria esse livro, mesmo achando-o extremamente fraco, mas para o SEU CLÃ, esse livro chega a ser contra-indicado! rsrs