quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Toraware no Minoue

Já que eu havia conhecido duas obras de Matsuri Hino, sendo que uma delas eu havia gostado bastante (Vampire Knight) e a outra eu não havia gostado quase nada (Wanted), resolvi tirar a prova dos 3 e escolhi Toraware no Minoue, licenciado no Brasil pela Panini (5 volumes), com o título de Destino Cativo. E a achei bastante fraquinha.

A primeira eu considero um bom shoujo, que pode (forçando) ser tranquilamente visto por meninos, tendo partes facilmente confundidas (com quem não é muito exigente) com shonen. A segunda é um shoujo que tentou ser um josei mal sucedido, pelo o que parece. E a terceira é um shoujinho muito do previsível, muito infantil e que, em determinadas partes, quase te faz perder a paciência. Eu só não parei de ler pois sou teimosa.

Conta a estória de uma família amaldiçoada que é impelida a servir a uma outra como mordomos-servos-leais-até-a-morte (desculpem, mas não irei pesquisar os nomes pois estou morta de cansaço!). Nesse contexto, a família que é "servida" desaparece e todos são dados como mortos, só que, uns 12 anos depois, a herdeira (de 16 anos) aparece e acaba por "ativar o gene da maldição" incubado no filho do mordomo. E, obviamente, ele se apaixona por ela e rapidamente é correspondido.

Claro que, além do gráfico bem bacaninha, algumas cenas até valem a pena, principalmente as meio nonsenses. O pai do personagem principal é muito engraçado! Mas não vai muito além disso, já que fora a previsibilidade, temos o excesso de clichês e acontecimentos inexistentes.
Se quiser, cheque-o AQUI!

2 comentários:

Laura Schwartz disse...

É,eu não tinha me atraido muito pela estória mesmo, li só o comecinho.

Diana Bitten disse...

Pior você não sabe.

Além de fraco está incompleto. Ai ninguém merece! ahuahuaha

Não reparei o ongoing - irregular. Putz!