quinta-feira, 11 de junho de 2009

Midnight Secretary II

Já postei sobre esse mangá AQUI, mas como terminei antes de ontem a série, voltei para arrematar o comentário.

Que decepção! Olha... definitivamente parece que disseram assim para a autora: "Termine logo isso, dê um final qualquer que vá agradar aos fãs pq eu preciso de você em outro projeto!"

A estória estava (melosamente) fluindo, com uma certa constância no enredo (fraco, tá bom), mas no ultimo mangá parece que ela simplesmente disse assim: "É, eles deram mole, não usaram camisinha, ela engravidou, o bebê será muito poderoso, se casaram e fim".

Disse spolier, desculpe, mas faz parte do momento revolta. O mangá simplesmente acabou no meio! (Isso está virando uma constante...) E, detalhe: na parte que parecia que poderia ter alguma ação! Nossa... que frustração!

Eu APOSTO que todo mundo que acompanhou pensou a mesma coisa!

Não vale muito a pena. Mesmo. Mas se quiserem acompanhar a série completa... clique AQUI.

4 comentários:

Laura Schwartz disse...

Pois é, no fim não era o gráfico que era feio, né? Só o fim do plot! huahuahauhuahauha

Diana Bitten disse...

Acho que nem vale a pena alongar o comentário...

vanessa disse...

Boa demais essa série! O vampirão era tudo de bom, a secretária (apesar de ser extremamente irritante às vezes com aquela mania de não saber nem tratar o cara pelo nome e depois de ir pra cama se comportar muitas vezes, como ele mesmo chegou a dizer pra ela, como uma profissional do sexo) pelo menos tinha o diferencial de ter uma personalidade mais forte e determinada do que a maioria das mocinhas desmioladas de mangá. O traço é lindo, mas o final deixou mesmo muito a desejar. Pareceu mesmo que alguém deu um prazo pra ela terminar no meio da estória. Eu tava torcendo pra uma continuação, mas acho que não vai rolar pq a tonica da estória era mesmo o romance dos dois, se fosse narrar a parte de guerra política dos vampiros em torno do nascimento da criança super-poderosa a drama ia ficar mais densa, ia ter que por os miolos pra funcionar mais, aí ia dar trabalho, já viu né?
Realmente, era tão difícil pra um vampiro ter filhos, que uma escorregadinha só já foi suficiente, fala sério! E isso de criança super-poderosa me lembrou também a Renesmeé, do Crepúsculo.
Ainda assim, apesar da decepção, ainda é um dos mangás que mais gostei de ler até hoje.

Diana Bitten disse...

É verdade! Ela lembra MESMO a Renesmeé!!!

Poxa, quando a série terminou eu fiquei louca por uma continuação, exatamente como vc descreveu, com o pano de fundoo drama político surgido pelo nascimento da criaturinha "super-poderosa".

Mas, como vc muito bem disse, para isso teria que sair da superficiallidade que ela escreveu, né mesmo?

Bjokas!