quinta-feira, 11 de junho de 2009

Noite ruim

Tenho dúzias de coisas para postar. Aliás, durante vários momentos (cômicos, na maioria das vezes) eu penso algo do tipo: "Tenho que dividir isso, vou colocar no blog de tal forma ", mas o desânimo tem me pegado de jeito. Aliás, acho que o desânimo está se tornando crônico, e estou terrivelmente preocupada pois nunca fui assim.

Então aviso que nesse feriado é muito provável que eu poste os posts atrasados... ou não.

Indo ao ponto: desânimo. Ontem eu sai. Aliás, o que eu tenho feito muito é sair, inclusive. Mas cada vez tem se tornado pior (quanto menos bebo, pior é). Algo de errado.

Sou uma mulher totalmente normal (pelo menos aparentemente), independente, bem resolvida (pelo menos aparentemente), inteligente (mesmo que as vezes não pareça.. rsrs), tenho uma parência normal, sou muito cheirosa e sei conversar... ou seja: nada de muito errado, não é?

Não. Não é. TEM algo de errado.

Como uma pessoa dessas, no meio de um bar muito bem frequentado, cheio de pessoas bonitas, todos se pavoneando, um bom som, blá blá blá FICA MAL?

Pois é. Eu não sei. Mas fico.

Ontem cheguei ao meu limite (tudo bem que estava meio caída já que estou com um resfriado medonho - novidade -, acabei de recolocar a merda do aparelho e extraí um dente antes de ontem em função do mesmo aparelho, merda de novo), vim para casa quase correndo (ai, para quem me conhece dei um daqueles surtos de "tenho que sair daqui AGORA"), pois se ficasse naquele lugar mais um segundo eu ia gritar. Ou chorar.

Poucas vezes eu me senti tão mal na vida. O que definitivamente não é normal. Justamente no momento que estou mais rodeada de pessoas, todas rindo e tal, começa a me dar um desepero, uma sensação ruim... uma solidão, uma falta de sentido na vida, sei lá! Preciso realmente de terapia. (Cara, odeio fazer post assim, mas como esse é o meu blog é o local que posso ser maluca, não?)

Bom, não suporto mais essa vida fútil (e nesse pasto só tem isso!!!!) onde as pessoas são embalagens sem conteúdo. Nem papo as pessoas tem! Em compensação a mulherada (em busca de marido rico) fica disputando que brilha mais, e os homens (no cio eterno) ficam disputando quem pega mais, ou quem é mais.

Entendo que somos animais, que temos que procriar e tal (como se eu já não tivesse feito isso), que a corte é normal (até pombos fazem isso em praça), mas eu não sou uma pomba! Eu não vou ficar sendo "simpatiquinha" prá qualquer mané que se acha o todo poderoso, o macho alfa!

"Sabe Fulano?" "Que Fulano?" "O loirinho do carro tal, ex de Fulana, que trabalha em tal lugar..." "Ah, sei!" OU "Olha aquele ali (que está com namorada), Fulana é doidinha pelo olbíquo dele!" OU "Tem 4 aqui que eu pego" Errado! Não é dessa forma que as pessoas tem que se ver!!

Ai, ok, depois que surtei e disse: "Toma o meu dinheiro, to indo agora", virei e saí (o que deixou minha amiga realmente muito puta), vim para casa e encontrei outra amiga no MSN, já que eram apenas 1 da manhã.

Ai, reclamando exatamente da(s) minha(s) noitada(s), sabe o que ela me disse (e provavelmente não está errada)? "Diana, você tem que se soltar mais, rir mais, ser menos séria, vc é muito séria! Na noite você não tem que ser inteligente, só atraente. Se mostre mais. Inteligência não conta. Só no desenrolar vc mostra o conteúdo."

Isso porque eu reclamei que as pessoas são fúteis e sem conteúdo (fora umas coisinhas mais que não cabem aqui).

Não sei ser assim. Nem sei se quero mudar (para pior) em função de uma sociedade com valores errados. Mas... desculpem o desabafo.

5 comentários:

Laura Schwartz disse...

Isso não é papo de eu conversar contigo por aqui mas já parou pra pensar que o problema não é você? E sim as pessoas e os lugares?

Não acredito que toda pessoa solteira bem resolvida tenha que se divertir em boates e barzinhos só porque tá cheio e tem música.

Esses lugares só são bons pela companhia, e nem todos os amigos funcionam em todos os momentos, tipo, tem amigo que combina pra ver filme, mas não combina pra noitada, ou combina pra papo sério, mas não pra ver filme bobo, verdade?

Não se culpe por tudo, mas sim, tente tirar o melhor da sua presente situação.

Bjo!

Diana Bitten disse...

Alongo a idéia no skype, ainda to em crise. Apesar de que o sushi que eu comi hoje (morra de inveja) alegrou um pouco o ânimo... rsrsr

RONYLBM disse...

OI, NÃO SE PREOCUPE COM ISSO, OK? VOCÊ NÃO É A ÚNICA QUE SE SENTE ASSIM...NÃO FAÇA "FIRULA" PRA AGRADAR NINGUEM!
PROCURE POR PESSOAS QUE TE FAZEM BEM, E SEJA FELIZ!

OBS: AGORA ENTENDI O PQ DAQUELA PERGUNTA NO MSN...RS

BEIJOS INTE +

Diana Bitten disse...

Uhum, pensarei nisso.

Mas... que pergunta? Eu falo contigo por email rsrs.

Bjo e obrigada pela visita!

gyabbo disse...

Meio atrasado, mas vou falar assim mesmo: Se você não é assim, não quer ser assim, não se sente bem com coisas assim, não faça coisas assim.

Tenho que concordar com a Laura ali em cima, será que a questão não é o lugar pra onde você vai ou as pessoas com quem você encontra nesses lugares?

Existe essa ideia errônea de que jovens felizes tem que ir pra balada, tem que dançar e beber a noite toda, tem que entrar na onde de lugar, mesmo que não seja do seu gosto. Mas as coisas não deveriam ser assim. Faça aquilo que lhe faz feliz!

Se c precisa beber pra que um lugar seja divertido, tem algo muito errado. A bebida devia ser a menor parte da diversão, não a forma de encontrar ela em determinado lugar