terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Carnaval

Caminho na Fazenda Ito, pintura a óleo feita por Bete Brito

Olá pessoas. Fiquei triste por ter esquecido minha máquina e não poder ilustrar o post... mas pelo menos trocarei uma idéia com vocês (sem ser animes rsrsr).

Carnaval, após ter decidido não viajar (por questões pessoais que não cabem aqui), pensei: "pronto, farei nada". E aconteceu isso, parcialmente, mesmo tendo sido proveitoso por inúmeras razões. No entanto, no domingo eis que surge um convite para ir na fazenda de uns conhecidos.

Claro que, como se trata da MINHA vida, antes eu tive que passar por um inferninho contendo carros de som com funk nas alturas e pessoas semi-possuídas (só pode) "dançando" (eu acho que era dança, pois nunca vi sexo com roupa). Nota: teve um momento que a coisa ficou tão absurda que eu (me fazendo de mulherzinha e burra) fiz a cara mais inocente e lesada do mundo, cheguei no dono de um dos carros, dei uma cutucadinha e perguntei: "escuta, por que vocês gostam de som tão alto?" (claro, sorisinho sedutor) Ai ele: "eu nem gosto, mas a música do outro carro é muito ruim e eu aumentei o do meu para não ouvir a dele, mas se vc pedir eu abaixo um pouquinho!" Ai eu: "só um pouquinho?" (voz de mulherzinha) Ai ele: "dois pontinhos". Ai eu: "Obrigadinha". CREDO, que situação que eu tive que passar pela saúde dos meus tímpanos!

A propósito, o menino era a CARA do Rony! A cara e o cabelo! Rs Ô Rony, eu acho que você tem um primo perdido por aqui! Perdido e com mal gosto. Rsrsr

Bom... parte boa: A FAZENDA! Cada vez mais eu acho que tenho que ser eremita. Sozinha, no meio do mato, no silêncio eu encontro a felicidade. E (na atual circunstância) descubro que HÁ vida fora de Muriaé. Vida, árvores e gente não-porca.

Cheguei na fazenda de madrugada e fui dormir meio pregada e meio altinha. Sendo assim cheguei na ignorância do local. Quando acordei, ao abrir a janela, a minha barrinha de energia (tipo joguinho de video-game) foi instantaneamente abastecida. MATO, árvores, montanhas, bichos... natureza! Ai Deus, que saudade de natureza!!!!

Ficamos na piscina (eu na doce ilusão de queimar, coisa que novamente não aconteceu, pois eu tenho um repelente natural ao sol, durmo levemente bronzeada e acordo verde como sempre), curtimos o mais absoluto NADA (curtimos eu não sei, EU curti), perfeito. Só faltou um livro.

Ai, a parte estranha: o resto do povo chegou (pessoas super bacanas e simpáticas), combinaram churrasco, um mundo de cerveja, arrumaram peixe para mim (vegetariana always) e eu... e eu... resolvi vir embora.

Alguém entende? Tô falando que Muriaé está me fazendo surtar...

Ah: o ônibus que voltei (estilo cata-jeca) passou por alguas cidades vizinhas, sabe que eu acho que a pior cidade, a pior MESMO, é Muriaé? Nossa, Patrocínio parece cidadezinha cenográfica!
Até o passeio de ônibus me fez ter esperanças que existe vida fora daqui...

8 comentários:

Emiliana disse...

Oxi, vc num me contou essa não, já que vc gostou das redondezas vamos passear por aí.

Diana Bitten disse...

Cara! Esqueci mesmo! É por causa daquela estória de "novas regras ortográficas".. desnorteou o assunto!

Mas vamos combinar SIM! Eu adorei a região... vamos noa convidar a ir na casa da Claudia? rsrsrs

Leana Bittencourt disse...

Depois ainda tem a coragem de me dizer que eu sou em E.T.
Acho que cada uma de um jeito, mas somos realmente da mesma família rs

Diana Bitten disse...

Aahuahuahau O fato de eu ser parcialmente louca não exclui a possibilidade de vc ser ET!

É... famílias são unidades de aberrações, credo.

Saudade Nana!

RONYLBM disse...

KKKK, PARECE MAS NÃO É!!! SO VC MESMO!!!HEHE, MAS MSM ASSIM VALEU A LEMBRANÇA!!!

BJKSSSS

Diana Bitten disse...

Rsrsr... culpa do seu cabelo!

Beijokas e "mão no cabelo"! HAUHAUHAUHA

Laura Schwartz disse...

Então eu agora tb posso falar de como me sinto "free" e desapegada do mundo quando estou na fazenda da minha família sem vc pensar que tenho problemas? huhauhauhauha Achei ótimo esses sentimentos seus, só que tem que aproveitar os outros também, apesar de eles serem os "outros".

Diana Bitten disse...

Não... continuarei achando que tem problemas. Ahauhauha

Olha, na MINHA visão não é normal um ser humano ser assim. Normalmente as criaturas da mesma espécie nossa gostam de interação, são animais sociáveis.

Eu troco fácil um mato por uma pessoa (ainda mais agora... rsrs) Mas acho que isso é levemente patológico.