domingo, 12 de outubro de 2008

Estória de Maria Biquinão e Teleket

Cada coisa que se ouve. Chegando no trabalho na sexta-feira, comentei que detesto vizinhos à toa, que ficam nas portas ou calçadas, principalmente quando a calçada é a MINHA.

Ai, uma colega de trabalho me contou a estória de um casal (sei que é errado colocar “nomes” verdadeiros, mas esses eu TIVE que usar), que se chama Maria Biquinão e Teleket. Que “raio” de nomes são esses? De onde saiu isso?!?!?

Casados, pais de três filhos. Gostam muito de uma confusão na calçada nos finais de semana, como diz a minha colega, por causa da “MaRdita”, da “Xiboquinha”, ou quaisquer outras denominações.

O coitado do Teleket nem é tão mal assim, só curte uma cachacinha (chamaremos de MaRvada, ok?), segundo me contaram o cara é trabalhador, não tem tempo ruim para pegar “no pesado”. A Maria Biquinão é que é a terrível. Essa ai realmente é a amante da MaRdita.

No domingo estavam em uma de suas confusões habituais, ai as pessoas, mesmo já acostumadas, começaram a se sentir cansadas, pois a coisa toda havia começado por volta das nove horas e já eram meia noite e a bagunça não acabava.

Vizinhos colocaram suas cabeças para fora das janelas e pediram silêncio, o que não adiantou, pois quando Biquinão e Teleket estão envolvidos na fight nada os distrai. Ai quando se ouviu, “Óóóóóóóó Telekeeeeeeet, eu vou pegar uma faca pra enfiar nesse seu pescoooooooooço!!!!” o povo correu.

Polícia, pensaram, único jeito. Obviamente a polícia não veio... o que seria um Teleket a menos no mundo para eles? Nada. Mas a briga acabou (até que recomece no outro domingo – Ih! Hoje deve ter... ) e segunda de manhã o mundo voltou ao normal para Biquinão e Teleket, como se nada tivesse acontecido, como todas as vezes.

Depois de ouvir a estória eu disse: “eu preciso ver essa cena (que não foi devidamente descrita já que – infelizmente – sou levemente desmemoriada e os detalhes comédia mesmo eu esqueci), pois deve ser Hilária!” Já que, imaginem, isso tudo como mais carregado sotaque mineiro!!!

Mas ai a minha colega disse: Hilária? Só se for contando aqui, pois pra quem convive com isso semanalmente é um saco! Nesse domingo eu botei a cabeça pra fora e gritei: “Pára com isso seus FDP*, por que eu quero dormir!!” – e completou – “Ai depois até fiquei culpada, pois a mãe deles não tem nada a ver com isso, coitada da dona Maria”.

Ai o detalhe: essa minha colega é crente, quietinha, tranquiiila, uma perfeita mãe de família. Para essa mulher perder a paciência com o casal Biquinão e Telekete é porque eles abusam mesmo... rsrsrsr

4 comentários:

Samuel (Tripa) disse...

Primeiramente...
Não consegui imaginar ate agora uma crente, mãe de familia e que provavelmente preza pela sua imagem social no bairro... abrindo sua janela e gritando "FDP" naturalmente.
aUHAHUAuhaUHAuhahUAuhaHUAuhauhUHAa
eu ate pagava pra ver a cena, mas infelizmente isso não acontece na minha vizinhança...
e quanto a coitada da D. Maria, infelizmente os justos pagam pelos pecadores, neh não???
uhaHUAhuaHUAuhaHUAuhaHAa

Laura Schwartz disse...

Eu AMEI essa historia!!! AMEI como vc contou tb. Consegui visualizar a cena! Huhehehehehe!

Emiliana disse...

VC não esqueceu de nada, só que contar as estórias da nossa colega mesmo, só ela é quem sabe, vc nem ouviu a do "cabelo de arroizal", contada pela própria é claro.

Diana Bitten disse...

Primeiro, D. Emiliana:

- Não era prá vc estar trabalhaNI?

Segundo:

- Não ouvi AINDA, pois vou obrigar ela me contar! Rsrsrsrs