segunda-feira, 20 de julho de 2009

Férias - concurso

Voltando às férias, ou melhor, ao primeiro final de semana dos 15 dias.

Tive um concurso. Claro, eu não posso cutir os 15 dias, tem que ter algum estraga prazeres no meio e dessa vez foi fazer uma prova, para a qual eu não tinha estudado nem UMA linha de nenhuma matéria.

Acordo em um domingo às cinco da manhã, e quinze para as seis estou chegando na rodoviária de Teresópolis rumo ao Rio. Cheguei no Rio às sete e meia e obviamente TODAS as passagens para Rezende no próximo ônibus estavam esgotadas.

No próximo. No próximo. E no próximo.

Fiquei na rodoviária da hora em que cheguei até as 10:15 sem fazer nada. Mentira: fiz amizade com uma concursanda e comi um Cup Noodles.

Pegando o 10:15 para rezende, mais ou menos 12:25 você deve estar chegando, mas não foi isso que aconteceu. Eram quase 13:00 horas e eu estava chegando. Lembrem-se que MUITAS pessoas (assim como eu) estão deseperadas por concursos e, por isso, as estradas em direção a eles ficam socadas.

Quando finalmente conseguimos sair do ônibus (conseguimos pois na altura eu já tinha formado um grupinho de 4 fisioterapeutas que iam fazer prova no mesmo lugar) não havia nenhum taxi. Tínhamos que chegar à prova 13:00 h com tolerância até 13:45 h.

Nessa de esperar o taxi, no ponto dele, eu vi no outro lado da pista um ônibus com o mesmo nome do bairro que eu iria fazer a tal prova. Nessa eu comecei a berrar atravessando a rua, arastando as mulheres atrás de mim para entrarmos no ônibus.

Porém, dentro dele descobrimos que a viagem durava 20 minutos. E que do ponto final até o colégio que seria realizada a prova tinha que andar uns 10 minutinhos.

Contabilizem. Chegada: 13:00 h - Espera pelo taxi: 10 min - "Viagem": 20 min - Andada até o colégio: 10 min - Tolerância: 13: 45 h. Hum... pensei: "sei não"

Depois de literalmente correr, cheguei à sala exatamente às 13:40h. A prova começou às 14:00 h. E 14:30 h eu já tinha terminado.

Quando eram 15:00h me deixaram sair da sala, só que ai veio o outro pensamento: como eu iria voltar para Teresópolis? Um mistério, já que os ônibus para o Rio estavam lotados até 21:45 h. E caso eu não chegasse na rodoviária do Rio até meia noite eu não conseguiria subir para Terê e teria que ficar pela rodoviária até o primeiro ônibus, no dia seguinte.

Perdida nesse pensamento eu saí da sala e fui em direção ao ponto de ônibus, para conseguir ir até a rodoviária e descobrir o que eu faria, só que quando o ônibus estava chegando e eu fui pegar a bolsa para pagar a passagem, EIS que a bolsa não estava comigo!

Tinha esquecido dentro da sala. Ok, volto para pegar.

Re-saindo (palavra nova) do colégio em direção ao ponto de ônibus para um carro cinza do meu lado e o motorista fala: "- Olha, eu prestei a atenção em você lá na prova... vc é do Rio, né?" Ai eu: "- Aham." E ele: "-Eu moro em Barra Mansa, passo pela rodoviária, quer carona até lá?"

TCHARANS!!! Minha salvação!!! Barra Mansa, a cidade vizinha, não teria os ônibus lotados até quase dez da noite!

Resposta: "-Claro! Posso ir com voce até Barra Mansa?"

Pois é, pensando racionalmente agora, acho que foi meio arriscado. Vai que o sujeito nem estivesse na minha sala, fosse um serial killer, um estuprador, ou qquer outra coisa. Mas na hora minha felicidade foi tanta que eu não pensava em benção maior.

Mas ele não era (que bom). E eu estava dentro do ônibus para o Rio às 16:20 h!

Recapitulando: a viagem dura 2 horas. Se eu peguei o ônibus as 16:20 h, chego às 18:20 h, certo? ERRADO. Cheguei às 19:23 h (graças a engarrafamentos e acidentes) e saí correndo como uma insandecida pela pista da rodoviária do Rio para conseguir pegar o 19:30 h para Teresópolis.

Feito! Às nove estava dentro do fusca, em Terê, indo - morta e com sensação de dever cumprido - para casa.

Ah! PS: Consegui fazer 86% da prova... PS2: Não comam Cup Noodles!

4 comentários:

Laura Schwartz disse...

Vamos aos cometários:

1) PQP
2) PQP !!!
3) Louca
4) Desvairada
5) Ensandecida
6) PQP!!!!!
7) Lembrei dos tempos de chegar na rodoviária na sexta e correr pro outro lado pra pegar o ônibus de qualquer hora que fosse que eu tivesse subindo pra Terê.
8) Realmente, não comam Cup Noodles.

Diana Bitten disse...

Ahauhauahu cara.. lembrei dos mesmos comentários super educativos quando vc viu o Itazura na Kiss. (Pera, foi o HYD?)

Aqui, eu não tinha te contado isso não? Vou te passar o perrengue pelo skype, já que por aqui eu encurtei a estória.

É, REAFIRMO: não comam Cup Noodles! Sob nenhuma circunstância.

Laura Schwartz disse...

Tudo que miojo é de bom esse Cup Noodle é ruim.

O fatídico e-mail foi sobre o HYD.

Diana Bitten disse...

Eu ainda publico ele! Rsrsrsr