domingo, 24 de abril de 2011

Nosso Lar

Ainda seguindo a programação da semana santa, visitar amigos, curtir Meu Bem e ver muitos filminhos, ontem eu assisti o que foi baseado na obra de Chico Xavier, Nosso Lar.

Acredito que a maioria dos que sejam, pelo menos, simpatizantes da doutrina espírita já ouviram falar desse livro e sabem algo sobre sua estória, assim como eu. Nosso Lar conta a estória de André Luis, médico que acaba de desencarnar, desde o momento que acorda no umbral, até seu "acordar" espiritual já na colônia chamada de Nosso Lar.

Sou levemente preconceituosa com produções nacionais, admito SIM que existem EXCELENTES produções, que não perdem NADINHA para as estrangeiras, mas até que eu achei que eles foram bastante cuidadosos na produção desse filme. E quando digo produção, estou me referindo a praticamente tudo, desde o cenário até os efeitos especiais, incluindo ambientações.

Só achei que a escolha de alguns atores foi meio fraca. Nossa, com tanta gente boa para ser chamada, foram chamar uns que não convenceram nadinha. Não estou sendo generalista, claaaro que tiveram atores muito bons, alguns até excelentes, mas nossa, em alguns momentos as interpretações pareciam de peça de escola! Ah, só mais uma coisa que realmente não gostei: o som do filme. Não sei o que acontece com alguns filmes brasileiros que tem esse som estranho, sem qualidade...

Acho que Nosso Lar nos faz pensar bastante sobre nossas condutas. Um momento interessante, que eu não sabia, e nem havia escutado falar, na doutrina espírita é sobre o "Suicídio inconsciente", que é (interpretação pessoal, pelo o que eu pude entender vendo o filme) quando desgastamos os recursos limitados do organismo através de condutas auto-destrutivas, principalmente focando nosso bem estar momentâneo. Ou seja, quando não preservamos nosso organismo como um bem que devemos manter, causando-lhe danos sucessivos. Nessa situação entrariam as noites intermináveis de buteco, cigarro...

E, mais importante ainda, a mesma situação acima se aplica à mente. O que pensamos de forma destrutiva, também pode acarretar um "suicídio inconsciente". Perdoem-me a pobreza dos conceitos e comentários, mas pretendo ainda estudar sobre isso.

Em resumo gostei bastante do filme, mas acredito que não tanto pelo filme em si, mas sim pela estória contada nele.

Na página oficial você vê todos os detalhes dessa produção, inclusive o trailer, visitem!

Um comentário:

'Lara Mello disse...

Obrigada pela dica.. Gosto de filmes assim! Bju