domingo, 18 de julho de 2010

Wake

Domingo extremamente preguiçoso, cheio de afazeres mas sem saco de fazer nenhum deles. Então mantive o pijama até as duas, tomei banho e coloquei moletom, curti a chuvinha e resolvi(emos) ler um livro. Como a coisa deveria ser breve, resolvi deixar minha atual leitura de lado e dividir a leitura de Wake com Laura (via skype, always).

Wake é um desses livros da safra juvenil "paranormal", bom, nem sei se posso classificá-lo assim, mas para explicar melhor, é um desses livros leves, meladinhos, para moças jovens, onde os personagens tem algum poder que os tornam diferentes (e que não passamos de 3 horas lendo).

Lisa MacMann nos conta a estória de Janie, uma moça que (incrivelmente não é enjoadinha como as outras desse estilo) tem um dom, aliás, que sofre de um dom, o de entrar nos sonhos dos dorminhocos próximos à ela. Com esse estranho poder, Janie tenta lutar para se adaptar a vida e alcançar seus objetivos, de uma forma nada fácil, já que além de pobre, a menina é filha única de uma mãe solteira e alcoólatra. Nesse contexto conhecemos sua melhor amiga e participamos um pouco de seus dramas e, entre outros e principalmente, conhecemos Cabel, um rapaz atencioso que guarda segredos.

Devido a sua capacidade especial, além de se ver em situações excruciantes, Janie passa a conhecer mais a fundo as pessoas a seu redor e, também por isso, começa a se interessar mais por Cabel (fala a novidade...). Bom, um pouco mais de ação a partir do meio do livro, entramos na trama, que é resolvida, e o final - mesmo tendo o fechamento da estória do primeiro livro - nada mais é do que um aperitivo para o segundo livro da série.

É, pessoas, é uma série, como sempre.

Gostei muito da Janie, simplesmente pelo fato dela não ser a idiota que estamos acostumadas nesse tipo de livro.

Até recomendo, mas não vão esperando um livro cheio de emoções ou inesquecível, pois não é. É um livrinho para ser ler numa tarde chuvosa sem nada para fazer, ou na piscina enquanto se bronzeia, ou esperando um ônibus... Quer checar? Veja aqui.

4 comentários:

Laura Schwartz disse...

... ou com uma ou duas cervejinhas ...rsrsrs

Concordo contigo, gostosinho pra um Domingo de bobeira, mas não inesquecível, e sim, a protagonista não ser enjoadinha é um grande trunfo deste livro!

Débora Lauton disse...

Gostei muito da sua resenha...
Realmente é um livro morno, deixa muitas coisas pendentes e fica a curiosidade...
Sabe o que mais me deixou confusa?? As atitudes da mãe de Janie não são muito estranhas??

beijos,
Dé...

Mica disse...

Oi Diana. Dei uma bisolhada no teu blog (gostei muito, adoro livros), mas não deu para ver tudo (óbvio). Vc já leu a série Mediadora, da Meg Cabot? Imagino que já tenha lido, mas esse seu review me fez pensar naquela série. A Suze, personagem principal, é uma heroína que eu achei bem legal, o que é uma raridade.

Diana Bitten disse...

@ Laura: É O trunfo desse livro, né?

@ Débora: Justamente!!! Essa mãe dela é estranha demais, tem algum mistério nisso. E as atitudes dela no final do livro, não são suspeitas tb?

@ Mica: Já li sim! Eu gostei bastante da protagonista, e acredito que fiz resenha e coloquei no blog, mas sinceramente não posso afirmar.
Sinceramente eu achei que o "Mediadora" é bem mais dinâmico e original do que o "Wake".

Abraços a todas e obrigada pela visita!