domingo, 28 de dezembro de 2008

Orgulho e Preconceito

Livro clássico (visto pelos "súditos da Rainha" como o melhor livro depois do Senhor dos Anéis, SIC), escrito pela autora que é considerada (tb por eles) a melhor depois de Shakespeare, MAS que eu não havia lido. Assim como Morro dos Ventos Uivantes (questão de tempo).

Inicialmente, acredito que eu, por estar há tanto tempo ser ler livros com diálogos mais rebuscados, demorei a entrar na leitura. Demorei a VER a estória, como se estivesse vendo um filme (pois é isso que ocorre quando leio). Depois da centésima página, a coisa mudou completamente e eu fui totalmente absorvida pela estória e seus personagens.

Um romance com uma ironia deliciosa, Jane Austin conta o cotidiano das famílias do séc 18, focando principalmente na estória da família Bennet, Darcy e Bingle - e as situações que ocorrem entre elas.

Ela criou personagens cativantes. O pai da personagem principal (Lizzie Bennet), o Sr. Bennet, é uma figura! Muito bom de ser lido! Satírico e irônico como poucos! Meu predileto, sem dúvida!

Mr. Darcy é um dos personagens masculinos românticos mais conhecidos da estória, então nem preciso comentar que tb é interessante: seu auto-controle, a perda do mesmo... muito bom. Uma personalidade bem marcante. Assim como a Lizzie. Os dois tem estilo e se merecem. Para falar a verdade, eu gostei da Lizzie pois ela é humana, de modo algum é uma protagonista típica.

Essa é que é a grande beleza do livro! As personagens são extremamente humanas, com suas falhas, seus erros de julgamento, suas gafes. Os fatos são, além de "humanos", reais e atemporais! E, por isso as reviravoltas da estória são tão bacanas!

RECOMENDO. Irei continuar a ler Jane Austin, e, quem sabe, até pesquisarei mais sobre a vida dela (abaixo), pois acredito que valha a pena!
Saiba mais sobre Jane Austin (em inglês)!

3 comentários:

Laura Schwartz disse...

Acho que tentei ler dois outros livros dela, mas Orgulho e Preconceito é com certeza o melhor. Sobre os livro existe o filme do Clube da Jane Austen que é legalzinho e um com a Anne Hathaway que conta a história da autora (parte fictícia pois não se sabe exatamente como certas coisas aconteceram).

Realmente o mais gostoso de Orgulho e Preconceito é a língua ferina de Lizzie e a honestidade com que Darcy expõe sua opinião, quer ela agrade ou não.

Diana Bitten disse...

Olha, para mim a melhor coisa á e forma irônica como ela escreve, a humanidade dos personagens e a atemporalidade.

Agora, quando ele se declarava eu me derretia toda, apaixonei na hora!

Vou tentar ver o que indicou.

Diana Bitten disse...

Laura, baixei o filme, assim que terminar de ver a séria estou nele! ;)