terça-feira, 5 de julho de 2011

Namorados para Sempre

Um dia estava meio que fuçando no Facebook alheio e percebi várias pessoas com o mesmo filme na sessão de "filmes prediletos", seu título era "Namorados para Sempre", o que me fez pensar em como as pessoas são apegadas a filminhos românticos que, na maioria das vezes, beira a cafonice... só que, não passou muito tempo e um amigo nosso (tb pelo FB), que é muito normal e costuma ter bom gosto, tb recomendou esse mesmo filme.

É, ai pulga ficou atrás da orelha, já que até o tal momento eu nunca havia ouvido falar sobre ele... então eu e Meu Bem combinamos de vê-lo no domingo.

PÉSSIMA IDÉIA!
O filme, para quem (assim como eu) não conhece, conta a estória de vida de um casal, seu casamento, seu rompimento e as fases entre os dois períodos.

Primeiramente, a produtora, o tradutor, ou a peste que resolveu escolher esse título pecou, E MUITO, ao colocá-lo. O título original é BLUE VALENTINE!!! O que não se relaciona EM NADA a "namorados para Sempre"!!!

Outra: a produtora, o editor de capa, ou sei lá qual o maldito profissional que fez a capa e a chamadinha "quando o amor estava se perdendo, a paixão voltou para atraí-los", devia estar sobre o efeito de alguma substância química MUITO DOIDA! Pois isso não se relaciona NADINHA com a estória do filme.

SPOILEEEEER!

A estória é contada alternando o passado e o presente (coisa que eu particularmente a-do-ro!), então vemos um casal cheio de problemas, frustrados, com uma relação desgastada, que simplesmente DÁ AGONIA de ser visto... e seu término é alternado com o momento que se conhecem.

Inicialmente é nítido que a Esposa NUNCA gostou do marido e que ficou com ele pois estava grávida de outro. E, assim como é fácil perceber isso, é mais fácil ainda perceber que o Marido, AO CONTRÁRIO DA AMARGURADA ESPOSA, era profundamente apaixonado por ela, TANTO QUE aceitou assumir a filha de outro homem, casar-se e passou a viver sua vida como um pai e um marido dedicados.

Tá... no finalzinho a amargurada/frustrada/esposa-tudo-de-ruim vem reclamando que ele não escuta ela, que ele é um bêbado sem carreira, que ele isso e que ele aquilo. Não. Não foi isso que percebi (inclusive Meu Bem concorda comigo), acho que ela, além de frustrada, amargurada e frígida, ainda é mentirosa!

Credo. Detestei o filme.

Sem esperança, final PÉSSIMO, PÉSSIMO, PÉSSIMO. Nossa, partiu meu coração a cena da filhinha agarrada ao pai. PÉSSIMO!

Tá... muita gente apreciou pelo realismo do filme MAS ele mostra uma realidade seca, de pessoas amarguradas, sem um pingo de esperança... credo. Não quero essa realidade.

Sou iludida? Romântica? Mulherzinha? Não. Só acho que não podemos aceitar chegar NUNCA a esse tipo de vida amargurada, frustrada e sem dedicação.

Não gostei da estória do filme. Os atores? Claro... estavam bons, aliás, ÓTIMOS (!), pois conseguiram me irritar bastante... mas não gostei da estória, não me acrescentou nada e não recomendo!

4 comentários:

Laura disse...

Não vi esse filme. E pelo visto nem devo!

SE está mal com um filmezinho romântica frustrato, assista The Notebook de novo! huahuahuahauua é até o mesmo carinha!

Diana Bitten disse...

Ahauah eu pensei A MESMA coisa! Até comentei com Henrique... na primeira semana de agosto iremos passar uma mini-férias em Guarapari, já reservamos The Notebook para a semana (que terá muitos programas nerds!) rsrs

Seu Bem disse...

Acho q a merda toda foi por conta da mulher, que resolveu casar e ficar do lado do cara simplesmente por comodismo ou por que ele iria ajuda-la com a crianca... A conversa que o marido conta ao colega de trabalho bem no inicio ilustra bem essa parte (que nao me lembro exatamente como era), mas eh quando ele diz que o homem encontra um amor e decide com quem ficar abrindo mao das outras mulheres, ja a mulher simplesmente escolhe um cara por ele ter um bom emprego. Nao acredito que isso seja a verdade, mas essa visao do cara mostra um pouco do que aconteceu no relacionamento dos dois e levou ao seu fim.
Particularmente acho que se deve fazer a coisa direito, caso contrario o relacionamente tende a acabar mais cedo ou mais tarde. Esse realismo eh bastante interessante no filme, mas eu tambem nao gostei dele nao.

'Lara Mello disse...

Ai, quero assistir \o/